Favor habilitar Javascript! CINEMA BRASIL NA INTERNET - CINEMA BRAZIL NA INTERNET

  Other Idioma?  
clique no banner acima                                                    
  Contato O Projeto
Mapa do Site
| Início | Acervo de Filmes | Roteiroteca | Vídeo online | Debates | Cadê Profissionais? | Memória |
|
Cine Matérias

Seu filme favorito

Matérias/Artigos
Arquivo de Mensagens
História do Cinema-BR
Preservação/Técnicas
Matérias/Artigos
Política/Mercado
Festivais/Concursos
Dicas de Produção
Comente esta página
|

Escolha as alternativas válidas do lado esquerdo. E vamos continuar trabalhando para melhorar mais e mais.
UM POUCO DA HISTÓRIA DO CINEMA NO BRASIL

Comunicado: Esta Página procura estabelecer alguns marcos da Historia do Cinema em nosso país. Trata-se de uma compilação de fatos. A Filmografia trata unicamente de filmes realizados no Brasil. Dependendo da fonte consultada há divergências sobre o ano em que o filme foi produzido. O nome do diretor está colocado, entre parênteses, após o nome do filme. Na ausencia do diretor, aparece o nome do produtor. Como esta Página não é oficial, não está vinculada a nenhuma entidade de cinema, seja nacional ou regional. Quando há divergências é citada a fonte ao final da informação.

08/07/1896

É realizada a 1a. sessão de cinema no Brasil, na Rua do Ouvidor, Rio de Janeiro. O aparelho de projeção tinha o nome de Omniographo. As exibições duraram tres semanas neste local..(2) O endereço era Rua do Ouvidor no. 57.(4)

15/01/1897

É apresentada uma sessão de cinema no Rio de Janeiro com um aparelho de projeção conhecido como Kinetógrapho Edison. (1)

15/07/1897

É apresentada uma sessão de cinema no Rio de Janeiro e o aparelho de projeção se chamava Cinematographo Lumiere.(1)

31/07/1897

A 1a. sala de cinema fixa foi inaugurada nesta data no Rio de Janeiro, na Rua do Ouvidor, no. 141, e a sala era de propriedade de Paschoal Segretto e Jose Roberto Cunha Salles. O aparelho de projeção tinha o nome de Animatographo Lumiere e a sala era chamada Salão de Novidades Paris. (4). Esta sala foi chamada inicialmente Salão das Novidades , depois mudado para Salão Paris.(2) A sala de cinema era chamada Salão de Novidades e o local chamado Salão Paris no Rio. (7)

1897

A 1a. sala de cinema fixa no Brasil foi inaugurada neste ano ( não é citada a data), no Rio de Janeiro, na Rua do Ouvidor, no. 109. O ilusionista espanhol Enrique Moya alugou uma sala neste endereço. Seu aparelho de projeção se chamava Cinematógrapho Edison.(2)

17/06/1898

Alfonso Segreto, a bordo do navio Bresil vindo da França, filmou vistas da baia da Guanabara, com uma camara comprada em Paris. Alguns consideram esse data como a data do nascimento do cinema brasileiro.

05/07/1898

Alfonso Segretto filma a visita do Pres. Prudente de Morais ao cruzador Benjamin Constant. (3) e (4). É produzido o filme Chegada do Dr. Prudente de Morais e sua Comitiva ao Arsenal da Marinha (produtor Paschoal Segretto) (9)

08/08/1898

Ocorre um incêndio no Salão Paris , de Alfonso Segretto, na Rua do Ouvidor 141, destruindo todo o equipamento de projeção chamado então de Animatographo Super-Lumiere. Somente em janeiro/1899 esse cinema voltaria funcionar, porém em outro endereço.(3)

1898

Foi produzido o filme Vistas e Aspectos Cariocas (produtor Paschoal Segretto)

1900

A visita do presidente Campos Salles a Argentina é filmada por um cinegrafista brasileiro.

05/11/1903

São feitos os primeiros filmes pelo português Antonio Leal, no Rio de Janeiro. Eram filmes de atualidades (curta metragem).

1906

Os Irmãos Segretto exibem o filme Roca, Carleto e Pegato na Casa de Detenção. Essas pessoas haviam cometido um crime em outubro/1906 que ficou famoso na cidade. (3 e 4).

Foi produzido o filme O Crime da Mala (Isaac Sandenberg).(1) Nota: Talvez este filme tenha sido feito em 1908, pois em 05/09/1908 ocorreu um crime em São Paulo que ficou conhecido como o Crime da Mala.

Produzido o documentário Carnaval na Avenida Central (produtor Paschoal Segretto);

1907

Em março entra em operação a usina hidroelétrica de Ribeirão da Lajes que fornece energia eletrica para a cidade do Rio de Janeiro, proporcionando melhores condições para a operação de salas de cinema.

Entre 10/08 e 24/12 foram inauguradas 18 salas de cinema no Rio de Janeiro.(7)

Neste ano já há 20 salas de cinema operando no Rio de Janeiro. As mais famosas eram: Grande Cinematographo Rio Branco, Cinematographo Pathé e Cinema Palace.(3)

1908

Produzido o filme Nhô Anastacio Chegou de Viagem (produtor Arnaldo Fomes de Souza e Marc Ferrez)), no Rio de Janeiro. É considerada a 1a. comedia brasileira. Tem 15 minutos de duração.

Produzidos tambem os filmes Um Transformista Original (Paulo Benedetti); Os Capadócios da Cidade Nova (Antônio Leal); Carmen (produtor William Auler): O Comprador de Ratos (produtor Lablanca, Leal e Cia.); O Diabo (Antonio Campos); Os Guaranis (Produtor Lablanca, Leal e Cia).

Nota: Acerca do fato conhecido como o Crime da Mala (ver 1906) foram realizados tres filmes: A Mala Sinistra (Antonio Leal); A Mala Sinistra ou O Crime da Mala (produtor Marc Ferrez) e O Crime da Mala (Alberto ou Jaime Botelho).(7) e (9)

Produzido o filme Os Estranguladores (Francisco Marzullo) no Rio de Janeiro com 40 minutos de duração. Esse filme trata do crime ocorrido em 1906. Ver esse ano.

1909

Produzido o filme Pela Vitoria dos Clubes Carnavalescos (Antonio Leal), no Rio de Janeiro. É considerado o 1o. filme de ficção brasileiro sobre o carnaval carioca.

Produzidos tambem o documentário Inauguração da Exposição de Animais no Posto Zootécnico (produtor Francisco Serrador) e os filmes Sonho de Valsa (Jose Gonçalves Leonardo) ; Noivado de Sangue ou Tragédia Paulista (Antonio Leal); Um Drama na Tijuca (Antonio Serra); A Cabana do Pai Tomas (Antonio Serra); Um Cavalheiro Deveras Obsequioso (Antonio Serra); Duo de Amor (produtor Francisco Serrador); O Guarani ou Dueto do Guarani (produtor William Auler); A Gueixa (José Gonçalves Leonardo); A Viúva Alegre (Alberto Moreira)

1910

Produzidos os filmes Paz e Amor (William Auler/Alberto Botelho ); O Milagre de Nossa Senhora da Penha(?); Da Serrinha aos Primeiros Saltos do Iguaçu (produtor Annibal Requião - documentário); A Marcha do Cadiz (Henrique de Carvalho), Paz e Amor (Alberto Moreira), A Revolta da Esquadra ( produtor William Auler - documentario)

1911

Produzido o filme A Tragedia da Rua dos Andradas (produtor Eduardo Hirtz)

1912

Produzidos os filmes Mil e Quatrocentos Contos ou O Caso dos Caixotes (Cândido de Castro); A Vida do Barão de Rio Branco (produtor Alberto Botelho ou Foto-Cinematografia Brasileira).

Foi produzido ainda A Vida de João Candido (produtor desconhecido) (9). Nota: João Candido foi um marinheiro que liderou a chamada Revolta da Chibata. Filme produzido no Rio de Janeiro. Foi o 1o. personagem negro que teve a vida filmada.Segundo (2) este filme foi realizado em 1910.

1913

É produzido o filme O Crime de Banhados (Francisco Santos/ Manuel Pera). É considerado o 1o. longa metragem produzido no Brasil.(1). O filme teve 2 horas de duração. (4). Produzidos também Um Crime Sensacional ou O Crime de Paula Mattos ( Luiz Rocha ou Paulino Botelho), Os Oculos do Vovo (Francisco Santos), O Ranchinho do Sertao (Eduardo Hirtz)

1914

Produzidos os filmes A Viuvinha ( Luiz de Barros); Amor de Perdição ( Francisco dos Santos); O Album Maldito (Francisco Santos, filme inacabado).

1915

Produzidos os filmes Inocencia (Vittorio Capellaro); A Moreninha (Antonio Leal); Vivo ou Morto (Luiz de Barros); Perdida (Luiz de Barros).

1916

Produzidos os filmes O Guarani (Vittorio Capellaro); Luciola (Carlos Comelli ou Franco Magliani), Rituais e Festas Bororo (produção do Conselho Nacional de Proteção aos Indios - documentario); Vivo ou Morto (Luiz de Barros)

1917

Produzidos os filmes O Cruzeiro do Sul (Vittorio Capellaro); Dioguinho (Guelfo Andaló); O Curandeiro (Antonio Campos); Le Film du Diable (Julio Davesa ou Louis Delac); O Grito do Ipiranga (Giorgio Lambertini); Herois Brasileiros na Guerra do Paraguai (Achilles Lambertini e Giorgio Lambertini), Patria Brasileira (Guelfo Andalo), A Quadrilha do Esqueleto (Eduardo Arouca ou Vasco Lima), Rosa que Desfolha ou O Domino Misterioso (Antonio Leal); Tiradentes (Perassi Felice)

1918

Produzidos os filmes Iracema (Vittorio Capellaro); O Garimpeiro (Vittorio Capellaro); A Derrocada (Luiz de Barros ou Teixeira Leite Filho); Patria e Bandeira (Simoes Coelho); Zero-Treze (Luiz de Barros). Produzidos também o desenho animado O Kaiser (Alvaro Marins ou Martins - Seth)) e o documentário Amazonas, o Maior Rio do Mundo (Silvino Santos);

1919

Produzidos os filmes Como Deus Castiga (Eugenio Fonseca Filho e José Medina) e Exemplo Redentor ou Exemplo Regenerador (Jose Medina -. curta-metragem cômico). Foram produzidos tambem os filmes Ubirajara (Luiz de Barros); Utatau (?); Alma Sertaneja (Luiz de de Barros): A Caipirinha (Caetano Matanó ou Miguel Milano);

1920

Produzidos os filmes A Joia Maldita ( Luiz de Barros); Perversidade (Jose Medina); Coração de Gaúcho (Luiz de Barros); O Crime de Cravinhos (Arturo Carrari); Os Faroleiros (Miguel Milano e Antonio Leite); O Guarani (João de Deus).

1921

Produzidos os filmes In Hoc Signo Vinces ( Francisco de Almeida Fleming); Do Rio a São Paulo para Casar (Jose Medina); Carlitinho (José Medina).

1922

Produzido o filme No País das Amazonas (Silvino Santos e Agesilau de Araujo)

1923

Produzidos os filmes João da Matta (Amilar Alves); A Canção da Primavera (Igino Bonfioli e Cyprien Ségur); A Culpa dos Outros (José Medina).

1924

Produzidos os filmes O Segredo do Corcunda (Alberto Traversa); Sofrer para Gozar (Eugenio C. Kerrigan); Retribuição (Edson Chagas); Alma Gentil (Antonio Dardes Neto); A Gigolette (Vittorio Verga); Hei de Vencer (Luiz de Barros).

1925

Produzidos os filmes A Carne (Felippe Ricci); Minha Vida Passou Como Um Sonho (Francisco de Rosa); A Historia de uma Alma (Eustorgio vanderley); Valadão ou Cratera Humberto Mauro); Jurando Vingar (Ary Severo); Gigi (Jose Medina); Aitaré da Praia ( Gentil Roiz); O Dever de Amar (Vittorio Verga): Filho Sem Mãe (Tancredo Seabra ); No Rastro do El-Dorado (Silvino Santos), Passei Toda a Vida Num Sonho (Francesco de Rosa), Quando Elas Querem (Paulo Trincheira e Eugenio C. Kerrigan), Retribuicao (Gentil Roiz); O Vale dos Martírios (Francisco de Almeida Fleming)

1926

Produzidos os filmes Paulo e Virginia (Almeida Fleming) A Esposa do Celibatario (Carlo Campogalliani); Fogo de Palha (Canuto Mendes de Almeida); O Guarani (Vittorio Capellaro); Corações em Suplicio (Eugênio .C. Kerrigan) ; A Filha do Advogado (Jota Soares): Depravação (Luiz de Barros); Em Defesa da Irmã (Eduardo Abelim); Esposa de Solteiro (Carlo Campogalliani); Filmando Fitas (Antonio Rolando), Sangue de Irmao (Jota Soares); Vicio e Beleza (Antonio Tibiriçá).

Produzido tambem o filme Na Primavera da Vida (Humberto Mauro). Nota: Segundo (5), os originais de deste filme não mais existem. Foram destruídos por má conservação ou incêndio

1927

Produzidos os filmes O Tesouro Perdido (Humberto Mauro); Dança, Amor e Aventura (Ary Severo); Aitaré da Praia (2a. versão - Ary Severo, Jota Soares e Luis Maranhão); Castigo do Orgulho (Eduardo Abelim e Waldomiro Kerting); Um Drama nos Pampas (Carlos Comelli); Os Milagres de Nossa Senhora Aparecida ou O Descrente (Francisco Madrigano); Mocidade Louca (Felippe Ricci); Senhorita Agora Mesmo (Pedro Comello)

1928

Produzidos os filmes Barro Humano ( Adhemar Gonzaga); Brasa Dormida (Humberto Mauro), Morfina (Odilon Azevedo), Amor que Redime (Eugenio C. Kerrigan); Mademoiselle Cinema (?); Entre as Montanhas de Minas (Igino Bonfioli e Manoel Talon); Morfina (Nino Ponti), Orgulho da Mocidade (Francisco Madrigano)

1929

Produzido o filme Acabaram-se os Otários (Luiz de Barros). Trata-se do 1o. filme sonoro feito no Brasil. Nota: Segundo (5), os originais deste filme não mais existem. Foram destruidos por má conservação ou incendio.

Produzidos os filmes A Escrava Isaura (Antonio Marques Filho); Sangue Mineiro (Humberto Mauro); Sao Paulo -Sinfonia de uma Metropole (Adalberto Kemedy); Fragmentos da Vida (Jose Medina), As Armas (Octavio Mendes); Revelação (Eugênio C. Kerrigan); Enquanto São Paulo Dorme (Francisco Madrigano),

15/03/1930

Fundação da Cinédia (companhia cinematografica) por Adhemar Gonzaga, no Rio de Janeiro.

1930

Produzidos os filmes Limite (Mario Peixoto); Labios sem Beijos ( Humberto Mauro); Saudade (Adhemar Gonzaga); Messalina (Luiz de Barros), Lua de Mel (Luiz de Barros); Coisas Nossas (Wallace Downey); Patria Redimida (Joao Batista Groff); Rosas de Nossa Senhora (Paschoal di Lorenzo); Perante Deus (José Silva); Piloto 13 (Achilles Tartari); O Misterio do Dominó Preto (Cleo de Verberena); Amor e Patriotismo (Achilles Tartari); Destino das Rosas (Ary Severo); Lampião, Fera do Nordeste (José Nelli ou Guilherme Gaudio), Sobre o Armário (Luiz de Barros); Tom Bill Brigou com a Namorada (Luiz de Barros); Tormenta (Arthur Sena)

1931

Produzidos os filmes Aurora de Gloria ou Alvorada de Glória ( Victor del Picchia e Luiz de Barros); Anchieta entre o Amor e a Religião (Arturo Carrari); Mocidade Inconsciente ou Absyntho (Caetano Matanó), No Cenario da Vida (Luis Maranháo e Jota Soares)

1932

Produzidos os filmes Mulher (Adhemar Gonzaga); O Caçador de Diamantes (Vittorio Capellaro); Ao Redor do Brasil (? - documentário): Canção da Primavera (Fabio Cintra), O Pecado da Vaidade (Eduardo Abelim)

1933

Produzidos os filmes Ganga Bruta (Humberto Mauro) e A Voz do Carnaval ( Humberto Mauro e Adhemar Gonzaga);

1934

Produzidos os filmes Favela dos Meus Amores (Humberto Mauro); Cidade Mulher (Humberto Mauro). Nota: Segundo (5), os originais desses dois filmes não mais existem. Foram destruidos por má conservação ou incendio.

Produzido também Fazendo Fitas (Vittorio Capellaro);

1935

Produzidos os filmes Bonequinha de Seda (Adhemar Gonzaga/Oduvaldo Viana), Noites Cariocas (Enrique Cadicamo).

1936

Produzidos os filmes Alô, Alô Carnaval (Adhemar Gonzaga), Alô, Alô, Brasil (Wallace Downey, João de Barro e Alberto Ribeiro) e O Bobo do Rei ( Mesquitinha); Lampião, Rei do Cangaço (Benjamin Abrahão)

1937

Produzidos os filmes Sedução de Garimpo ( Luiz de Barros); O Descobrimento do Brasil (Humberto Mauro); Maria Bonita (Julian Mandel); João Ninguém (Mesquitinha), O Samba da Vida (Luiz de Barros).

1938

Produzids o filme Tererê não Resolve (Luiz de Barros)

1939

Por um decreto do governo Vargas, cada sala de cinema do Brasil é obrigada a projetar, pelo menos, um (1) filme nacional de longa metragem por ano bem como apresentar os jornais de atualidades nacionais.

Produzidos os filmes Onde Estás, Felicidade? (Mesquitinha); Laranja da China (Ruy Costa);

1940

Produzidos os filmes Pureza (Chianca de Garcia); 24 Horas de Sonho (Chianca de Garcia); Ave sem Ninho (Raul Roulien); Argila (Carmen Santos/ Humberto Mauro) e Fazenda Velha (Lima Barreto - curta metragem); A Eterna Esperança (Leo Marten)

18/09/1941

Fundação da Companhia Cinematografica Atlântida por Moacyr Fenelon e Jose Carlos Burle. Extinta em 1961 (ou 67?), a Atlantida chegou a produzir 67 filmes.

1942

Produzidos os filmes Coelho Sai (Newton Paiva); Canto da Raça (José Medina).

1943

Produzido o filme Moleque Tião (Jose Carlos Burle). É o 1o. longa metragem realizado pela Atlantida. Primeiro filme do ator Grande Otello. Nota: Segundo (5), os originais deste filme não mais existem. Foram destruidos por má conservação ou incendio.

Produzidos tambem os filmes Caminho do Ceu (Milton Rodrigues); É Proibido Sonhar (Moacyr Fenelon), Samba em Berlim (Luiz de Barros).

1944

Produzidos os filmes Romance Proibido (Adhemar Gonzaga); Tristezas Não Pagam Dívidas (Jose Carlos Burle e Rui Sá ou Ruy Costa)

1945

Produzido o filme Nao Adianta Chorar (Watson Macedo)

1946

Produzidos os filmes A Colmeia (Luiz de Barros); O Cortiço (Luiz de Barros); O Ebrio (Gilda de Abreu), Palhaço Atormentado (Rafael Falco Filho ou Jose Falco Fillho)

1947

Produzidos os filmes Sertão (Genil Vasconcelos - documentário); Luz dos Meus Olhos (José Carlos Burle); Este Mundo é um Pandeiro (Watson Macedo), Querida Suzana (Alberto Pieralisi).

1948

Produzidos os filmes Terra Violenta (Bernoudy); Inconfidencia Mineira (Carmen Santos); Inocência ( Luiz de Barros); Cavalo 13 (Claudio Luiz); Obrigado, Doutor (Moacir Fenelon); E o Mundo se Diverte (Watson Macedo); É Com Este Que Eu Vou (José Carlos Burle)

04/11/1949

Fundação dos estúdios Vera Cruz, em Sao Bernardo do Campo - SP

1949

Produzidos os filmes A Tempestade Maravilhosa ( Leitao de Barros); Caminhos do Sul (Fernando de Barros); Juventude (Nelson Pereira do Santos - documentário); Escrava Isaura (Eurides Ramos); Luar do Sertão (Tito Batini e Mario Civelli); Tambem Somos Irmãos (Jose Carlos Burle); Carnaval no Fogo (Watson Macedo), Quase no Ceu (Oduvaldo Vianna); .

1950

Produzido o filme Caiçara (Adolfo Celi). Foi o 1o. filme saído dos estudios Vera Cruz: Produzidos tambem os filmes Estrela da Manhã (Oswaldo Marques de Oliveira ou Jonald); Painel (Lima Barreto - documentario); Almas Adversas (Leo Marten); A Sombra da Outra (Watson Macedo); Aviso aos Navegantes (Watson Macedo),

1951

Produzidos os filmes Vento Norte (Salomão Scliar); Maria da Praia (Paulo Vanderley); A Beleza do Diabo (Romain Lessage); Aí Vem o Barão (Watson Macedo); Ângela (Abilio Pereira de Almeida e Tom Payne); Anjo do Lodo (Luiz de Barros); O Comprador de Fazendas (Alberto Pieralisi), Presença de Anita (Ruggero Jacobbi), Santuario (Lima Barreto - documentario); Suzana e o Presidente (Ruggero Jacobbi); Terra é Sempre Terra (Tom Payne); Mulher do Diabo (Milo Harbich).

1952

Produzidos os filmes Tico -Tico no Fubá (Adolfo Celi); Os Tres Vagabundos (Jose Carlos Burle); Tudo Azul (Moacyr Fenelon), Simão, o Caolho (Alberto Cavalcanti); Santuario (Lima Barreto - documentario); Apassionata (Fernando de Barros); Carnaval Atlântida (José Carlos Burle); A Carne (Guido Lazzarini); É Fogo na Roupa (Watson Macedo); João Gangorra (Alberto Pieralisi); Meu Destino é Pecar (Manuel Peluffo); Modelo 19 (Armando Couto), Nadando em Dinheiro (Abilio Pereira de Almeida e Carlos Thire), Sai da Frente (Abilio Pereira de Almeida e Tom Payne); Veneno (Gianni Pons).

Produzido tambem O Canto da Saudade, o ultimo longa metragem de Humberto Mauro.

Acontece o I Congresso Brasileiro de Cinema - I CBC.

1953

Produzidos os filmes Mulher de Verdade (Alberto Cavalcanti); O Canto do Mar (Allberto Cavalcanti); Sinha Moça (Tom Payne e OswaldoSampaio), O Cangaceiro (Lima Barreto), Uma Pulga na Balança (Luciano Salce); Amei um Bicheiro (Jorge Ileli e Paulo Wanderley), O Gigante de Pedra (Walter Hugo Khouri), Agulha no Palheiro (Alex Viany); Destino em Apuros (Ernesto Remani); A Dupla do Barulho (Carlos Manga); Esquina da Ilusão (Ruggero Jacobbi); Familia Lero-Lero (Alberto Pieralisi); Fatalidade (Jacques Maret); O Homem dos Pagagaios (Armando Couro); Luz Apagada (Carlos Thiré), O Saci (Rodolfo Nanni); Uma Vida Para Dois (Armando Miranda)

Acontece o II Congresso Brasileiro de Cinema - II CBC.

1954

Produzidos os filmes Floradas na Serra (Luciano Salce); A Outra Face do Homem (J. B. Tanko); Candinho (Abilio Pereira de Almeida): Chamas no Cafezal (José Carlos Burle); O Craque (José Carlos Burle); Da Terra Nasce o Ódio (Antoninho Rossri); É Proibido Beijar (Ugo Lombardi); Matar ou Correr (Carlos Manga), Mulher de Verdade (Alberto Cavalcanti), Na Senda do Crime (Flaminio Bolini Cerri), Nem Sansão nem Dalila (Carlos Manga), O Petróleo é Nosso (Watson Macedo), Rua Sem Sol (Alex Viany), São Paulo em Festa (Lima Barreto - documentario); A Sogra (Armando Couto).

1955

Produzidos os filmes Rio 40 Graus (Nelson Pereira dos Santos). É considerado o 1o. filme do chamado Cinema Novo do Brasil. Produzidos também Carnaval em Lá Maior (Adhemar Gonzaga): A Carrocinha (Agostinho Martins Pereira); Leonora dos Sete Mares (Carlos Hugo Christensen): Magia Verde (Gian Gaspare Napolitano); Mãos Sangrentas (Carlos Hugo Christensen); Sinfonia Carioca (Watson Macedo); Os Tres Garimpeiros (Gianni Pons)

1956

Produzidos os filmes Sai de Baixo (J.B. Tanko), O Fuzileiro do Amor (Eurides Ramos); Meus Oito Anos (Humberto Mauro - documentário em curta metragem); Quem Matou Anabela (David D. Hamza); A Estrada (Oswaldo Sampaio); O Gato da Madame (Agostinho Martins Pereira)); Colégio de Brotos (Carlos Manga); Depois Eu Conto (José Carlos Burle), Papai Fanfarrao (Carlos Manga), Pensao de D. Stela (Alfredo Palacios e Ferenk Fekete). Produzido também o documentário Getulio, Gloria e Drama de um Povo ou GetulioVargas, Sangue e Gloria de um Povo (Alfredo Palacios), O Sobrado ( Walter George Durst e Cassiano Gabus Mendes)

1957

Ocorre incêndio no predio onde fica a Cinemateca Brasileira, destruindo varios filmes.

Produzido o filme Rio, Zona Norte (Nelson Pereira dos Santos). Neste filme a cantora Angela Maria vive seu proprio personagem.

Produzidos os filmes Absolutamento Certo (Anselmo Duarte); Marido Barra Limpa (Luiz Sergio Person), Paixão de Gaúcho (Walter George Durst); Treze Cadeiras (Francisco Eichhorn); De Vento em Popa (Carlos Manga); Maluco por Mulher (Aloisio de Carvalho); Metido a Bacana (J. B. Tanko), O Noivo da Girafa (Victor Lima), Osso, Amor e Papagaio (Carlos Alberto de Souza Barros), Rico Ri A Toa (Roberto Farias), Rio Fantasia (Watson Macedo), Rosa dos Ventos ou Cinco Canções (Alex Viani - episodio brasileiro)

1958

Produzidos os filmes O Grande Momento (Roberto Santos); O Estranho Encontro (Walter Hugo Khouri); No Mundo da Lua (Roberto Farias); Aguenta o Rojão (Watson Macedo); Alegria de Viver (Watson Macedo): Camelô da Rua Larga (Eurides Ramos); Casei-me com um Xavante (Alfredo Palacios); Chico Fumaça (Victor Lima); Chofer de Praça (Milton Amaral); Esse Milhão é Meu (Carlos Manga), Rebeliao em Vila Rica (Geraldo Santos Pereira e Renato Santos Pereira); Vou Te Contá (Alfredo Palacios).

1959

Produzidos os filmes Fronteiras do Inferno (Walter Hugo Khouri); O Homem do Sputnik (Carlos Manga); Jeca Tatu (Milton Amaral); O Mestre de Apicucos (Joaquim Pedro de Andrade); O Poeta do Castelão (Joaquim Pedro de Andrade); Cara de Fogo (Galileu Garcia), Ravina (Rubem Biafora), Redenção ( Roberto Pires)

1960

Produzidos os filmes Na Garganta do Diabo (Walter Hugo Khouri); Mandacaru Vermelho (Nelson Pereira dos Santos); Arraial do Cabo (Paulo Cesar Saraceni); Aruanda (Linduarte Noronha); Cidade Ameaçada (Roberto Farias); A Morte Comanda o Cangaço (Carlos Coimbra)

_____________________________________________

1960 Trigueirinho Neto faz "Bahia de Todos os Santos".

1961 O Cinema Novo ganha fôlego com Roberto Pires ("A Grande Feira") e Glauber Rocha filma "Barravento".

1962 Anselmo Duarte ganha a Palma de Ouro em Cannes por "O Pagador de Promessas" e é o primeiro brasilero indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Norma Bengell faz o primeiro nu frontal do cinema brasileiro em "Os Cafajestes" de Ruy Guerra. Roberto Farias dirige "Assalto ao Trem Pagador".

1963 Nelson Pereira dos Santos realiza "Vidas Secas", adaptação da obra de Graciliano Ramos.

1964 Glauber Rocha lança "Deus e o Diabo na Terra do Sol". Walter Hugo Khouri filma "Noite Vazia". José Mojica Marins realiza "À Meia Noite Levarei Sua Alma". "Os Fuzis", de Ruy Guerra, recebe o Urso de Prata do Festival de Berlim.

Golpe de estado interrompe os documentários "Cabra Marcado Para Morrer", de Eduardo Coutinho, "Maioria Absoluta"de Leon Hirszman e "Integração Racial" de Paulo Cézar Saraceni.

1965 Luiz Sérgio Person disseca São Paulo em "São Paulo S/A".

Começa a Semana de Cinema Brasileiro, precursora do Festival de Brasília.

"Na Onda do Iê-Iê-Iê" lança Renato Aragão no cinema.

1967 Surge o Festival de Cinema de Brasília.

Luiz Sérgio Person realiza "O Caso dos Irmãos Naves". Glauber Rocha lança "Terra em Transe".

Com "Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver", José Mojica Marins - o Zé do Caixão - populariza o cinema de terror brasileiro.

1968 Rogério Sganzerla lança "O Bandido da Luz Vermelha". Outras produções importantes do período: "O Dragão da Maldade Contra o Santo Guerreiro" (Melhor Direção em Cannes) e "Fome de Amor" (Nelson Pereira dos Santos).

A 13 de dezembro, a ditadura militar lança o Ato Institucional nº 13, responsável pela censura de diversos filmes produzidos desde então.

Início do cinema marginal com os primeiroslongas de Bressane e Sganzerla.

1969 Joaquim Pedro de Andrade adapta "Macunaíma", de Mário de Andrade. Julio Bressane filma "Matou a Família e Foi ao Cinema" e "O Anjo Mau". Cacá Diegues lança "Os Herdeiros".

Governo militar cria a Embrafilme.

1970 Reserva de mercado de 112 dias por ano.

1973 Hugo Carvana escreve, dirige e atua em "Vai Trabalhar, Vagabundo". O filme conquista o Festival de Taormina, na Itália, e inaugura a neochanchada brasieleira. Arnaldo Jabor lança "Toda Nudez Será Castigada", adaptação de Nelson Rodrigues, que arrebata o Urso de Prata no Festival de Berlim.

Surge o Festival de Cinema de Gramado. Surge a ABD - Associação Brasileira de Documentaristas (e curtas-metragistas) durante a Jornada de Cinema da Bahia.

1975 O argentino naturalizado brasileiro Hector Babenco estréia com o documentário "O Fabuloso Fittipaldi" e roda "O Rei da Noite".

1975 "Tubarão"torna-se o primeiro blockbuster da história do cinema, com público de 13.035.000 espectadores, desbancando "O Poderoso Chefão"de 1972.

1976 Ruy Guerra recebe o Urso de Prata do Festival de Berlim por "A Queda". Babenco lança "Lúcio Flávio, o Passageiro da Agonia". Carlos Diegues dirige Zezé Mota em "Xica da Silva". Em novembro é lançado "Dona Flor e Seus Dois Maridos", de Bruno Barreto, que irá se tornar a maior bilheteria da história do cinema brasileiro: 10,7 milhões de pessoas.

1978 Com "Os Trapalhões na Guerra dos Planetas", o grupo emplaca o segundo filme na lista dos maiores públicos do cinema brasileiro.

1980 Hector Babenco lança "Pixote - A Lei do Mais Fraco". Carlos Diegues faz nevar no Brasil no roadmovie "Bye, Bye Brasil". Tizuka Yamasaki estréia em "Gaijin - Os Caminhos da Liberdade". Glauber Rocha lança "Idade da Terra" seu último filme. Ao mesmo tempo a pornochanchada traz o público de volta aos cinemas em filmes como "A Noite das Taras", de David Cardoso, que atrai boas bilheterias.

Produção recorde de 103 longa-metragens.

1981 "Eles Não Usam Black-Tie", de Leon Hirszman, conquista o Prêmio Especial do Júri no Festival de Veneza.

1983 Walter Lima Jr. lança "Inocência", adaptação do clássico de Visconde de Taunay, a partir de roteiro do cineasta Lima Barreto, de O Cangaceiro.

1984 Murilo Salles estréia em longa-metragem com "Nunca Fomos tão Felizes", vencedor do Leopardo de Bronze no Festival de Locarno, na Suíça. Eduardo Coutinho retoma "Cabra Marcado para Morrer", filme barrado pela ditadura no início das filmagens em 1964.

1985 Marcélia Cartaxo conquista o Urso de Prata de Melhor Atriz no Festival de Berlim pela atuação em "A Hora da Estrela".

1986 Fernanda Torres divide o Prêmio de Melhor Atriz no Festival de Cannes com Barbara Sukowa (Rosa Luxemburgo) por "Eu Sei que Vou te Amar", de Arnaldo Jabor. Ana Beatriz Nogueira ganha o Urso de Prata de Melhor Atriz no Festival de Berlim por "Vera", de Sérgio Toledo. William Hurt recebe o Oscar de Melhor Ator por "O Beijo da Mulher Aranha", de Hector Babenco. O filme, que contou com Sônia Braga no papel-título, foi rodado no Brasil.

1989 Fernando Collor de Melo vence a eleição presidencial. No primenro dia de seu governo em

1990, extingue a Embrafilme. A produção nacional de filmes praticamente acaba.

1991 Hector Babenco roda na Amazônia "Brincando nos Campos do Senhor", com elenco americano e brasileiro.

1993 Carlos Reichenbach filma o autobiográfico "Alma Corsária".

1994 Sérgio Rezende filma "Lamarca", com Paulo Betti como protagonista.

Aprovada a Lei do Audiovisual, sistema de financiamento baseado na renúncia fiscal.

1995 Carla Camurati lança "Carlota Joaquina - Princesa do Brasil". A imprensa liga o filme à retomada do cinema brasileiro.

1996 "O Quatrilho", de Fábio Barreto, é indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro.

1997 "O Que é Isso Companheiro?", de Bruno Barreto, é indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Hector Babenco concorre à Palma de Ouro de Cannes com Coração Iluminado.

1998 É lançado "Central do Brasil", de Walter Salles. O filme recebe os prêmios de melhor filme e melhor atriz - Fernanda Montenegro - do Festival de Berlim, é indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro e de Melhor Atriz, recebendo ainda mais de 40 prêmios em outros Festivais.

1999 É criada a SubComissão de CINEMA no Senado Federal para ouvir várias personalidades e representantes do Cinema feito/exibido no Brasil, com vistas a regular o mercado. Carlos Reichenbach filma "Dois Córregos".

2000 Ocorre o III CBC-Congresso Brasileiro de Cinema, reunindo cerca de 30 entidades dos diversos setores do CINEMA, união espantosa da comunidade cinematográfica que faz o governo Fernando Henrique Cardoso se apressar em criar um grupo de estudos de cinema, o GEDIC, nomeando pessoas de sua confiança, incluindo Gustavo Dahl, presidente da entidade CBC.

2001 A ANCINE é criada a partir do GEDIC. Acontece o IV CBC no Rio de Janeiro.

2002 O INVASOR de Beto Brant e BICHO DE SETE CABEÇAS de Laís Bodanski marcam a presença de uma nova cinematografia, que faz um cinema de grande qualidade e profundidade.

2003 "Carandiru" supera a marca de 4,5 milhões de espectadores tornando-se um dos 10 filmes de maior bilheteria da história do cinema no Brasil.

2004 "Bens confiscados" – Carlos Reichenbach, diretor de "Dois Córregos" apura sua arte de dirigir, mas o mercado não tem espaço para produções independentes ousadas e instigantes como as dele.

2005 "Dois Filhos de Francisco" faz 5,3 milhões de espectadores e garante a bilheteria do ano, que excepcionalmente representou cerca de 23% do total de filmes, quando a média nos últimos dez anos foi e nos próximos seis seria cerca de 10% do total dos filmes. "Quanto vale ou é por quilo?" revela Sérgio Bianchi seguro na direção, mas não encontra tela no circuito comercial.

2006 "Brasília 18%" – Nelson Pereira dos Santos, octogenário, volta a fazer um longa de ficção após décadas sem filmar.

2007 "Baixio das bestas" – Cláudio Assis, o cineasta de "Amarelo Manga" e "Texas Hotel", preserva seu estilo contundente.

2008 "Tropa de Elite", de José Padilha, surpreende a todos, sendo visto por mais de cinco milhões de pessoas no mercado paralelo, por dvds feitos a partir de uma cópia pirateada durante a edição. Não foi tão bem nos ingressos oficialmente vendidos, mas foi abraçado pelo grande público pela coragem e pelo tema vibrante. O filme ganharia depois o Urso de Ouro em Berlim.

2009 "Besouro" - João Daniel Tikhomiroff, outro filme que surpreende, independente, sobre um tema difícil, a vida de um capoeirista brasileiro no estilo de filmes como Matrix, faz 500 mil espectadores pagos nos primeiros meses de lançamento.

2010 "Tropa de Elite 2" - O longa metragem ultrapassou o filme Dona Flor e Seus Dois Maridos, lançado em 1976, até então o mais visto na história do cinema nacional, com 12 milhões de espectadores. Só que Tropa 2 fez mais de 12 milhões de espectadores no mesmo ano do seu lançamento, enquanto Dona Flor computou anos e anos para chegar ao recorde.

2011 Dez anos depois de criada a Agência Reguladora, ANCINE, a ocupação de filmes permanece em torno de 10%. O CBC cobrou isso da Agência Nacional do Cinema.

2012 Carlos Reichenbach deixa a vida para entrar para a História do Cinema Brasileiro. Tal como Glauber comprova que para ser perene não é necessário fazer blockbusters, nem ser indicado a Oscar. Para um cineasta ter uma obra perene é preciso ser ousado, independente, e filmar com a alma. "Xingu", de Cao Hamburger, é lançado e faz menos de um milhão de espectadores.

____________________________________________

Principais Fontes:

Livros:

(1) História do Cinema Mundial, Vol II, de Georges Sadoul (1963)

(2) Nosso Século (Brasil 1900/1910), coletânea da Abril Cultural.

(3) A Bela Época do Cinema Brasileiro, de Vicente de Paula Araújo (1976)

(4) A Fascinante Aventura do Cinema Brasileiro, de Carlos R. de Souza (1981)

(5) Cinema Brasileiro, de Helio Nascimento (1981)

(6) Salões, Circos e Cinemas em São Paulo, Vicente de Paula Araújo (1981)

(7) 70 Anos de Cinema Brasileiro, de Adhemar Gonzaga e P. E. Salles Gomes (1966)

(8) Dicionario de Cineastas Brasileiros, de Luiz F. A. Miranda (1990)


Nesta seção MEMÓRIA estão/estarão:
. Banco de Artigos e Matérias sobre Cinema Brasileiro
. Arquivo de Mensagens das listas CINEMABRASIL
. Textos sobre Preservação
. Textos sobre evolução tecnológica do Cinema
. A História do Cinema Brasileiro
. Formas de se circular/manter acervo de fitas/cartazes.

Escolha as alternativas válidas do lado esquerdo. E
vamos continuar trabalhando para melhorar mais e mais.

Obrigado pela visita de hoje.





|


|
visitas:
| Início | Acervo de Filmes | Roteiroteca | Vídeo online | Debates | Cadê Profissionais? | Memória |